Sporting vence sem complicações e permanece líder (1-3)

Direitos de autor: Renato Dias

O Sporting tornou fácil a sua deslocação à "Capital do Móvel", com Slimani mais uma vez, em destaque - a equipa de Jorge Jesus entrou em campo em segundo lugar, visto que o Benfica tinha vencido o seu respetivo jogo na jornada 19 da Liga NOS.


Sporting de volta ao seu “onze baze”

         Depois do empate cedido em casa frente ao Tondela e da derrota em Portimão para a Taça da Liga, Jorge Jesus voltou a apresentar o seu melhor onze. Para este jogo, o técnico do Sporting apenas não contou com Tobias Figueiredo e Bruno Paulista, ambos por lesão. 
         Do lado do Paços de Ferreira, o treinador Jorge Simão esteve impedido de se sentar no banco da sua equipa devido a suspensão. Na bancada, o treinador teve  a companhia de Andrezinho e de Miguel Vieira, o primeiro também devido a suspensão e o segundo por lesão.

Onze do Sporting: 
Rui Patrício / João Pereira / Naldo / Paulo Oliveira / Jefferson / William Carvalho / Adrien / João Mário / Bruno César / Bryan Ruiz / Slimani 

Onze do Paços de Ferreira: 
Marafona / João Góis / Baixinho / Fábio Cardoso / Hélder Lopes / Pelé / Romeu / Diogo Jota / Barnes Osei / Edson Farias / Bruno Moreira 

Primeira parte 

         O jogo não se adivinhava fácil para a equipa de Alvalade, mas, os primeiros momentos do jogo vieram contrariar esta ideia. 
         O Sporting entrou bem no encontro, dominando a primeira parte por completo não permitindo qualquer ataque digno de registo da equipa do Paços. Por sua vez, a equipa caseira entrou em campo com um bloco baixo com a intenção de explorar o contra-ataque mas a primeira parte acabou mesmo por ter sentido único. 
         Apesar deste domínio, o Sporting apenas inaugurou o marcador perto do intervalo e num lance onde a defesa do Paços “adormeceu”. Numa reposição lateral efectuada muito rápido, a defesa da equipa da casa demorou a reagir e permitiu que Bruno César abrisse o activo depois de assistência de Slimani

Segunda parte

         Após uma primeira parte em que a equipa da casa praticamente não existiu, o técnico do Paços fez uma substituição ao intervalo e alterou a táctica da sua equipa. Jorge Simão tirou Barnes Osei e reforçou o meio campo com a entrada de Christian, tentando assim responder à superioridade numérica do Sporting no centro do terreno evidenciada no decorrer da primeira parte. 
         Neste segundo tempo, os comandados de Jorge Jesus voltaram a entrar fortes tentando chegar ao golo da tranquilidade. Apesar de o Paços ter aparecido com mais consistência no segundo tempo, o Sporting acabou mesmo por dilatar a diferença do marcador, desta vez marcou Slimani depois de uma assistência de João Mário. Após o segundo golo, o Sporting acalmou o ritmo do jogo, mas, aos 82min, a equipa da Mata Real vai reduzir o marcador por intermédio de Bruno Moreira, no seguimento de um lançamento lateral efectuado directamente para a grande área dos Leões. 
         Nesse momento aguardava-se a resposta do Paços, e, ainda com cerca de 10 minutos para se jogar, aguardava-se um final de jogo difícil para o Sporting. Tal facto ficou espelhado na reacção de Jorge Jesus ao golo de Bruno Moreira.
         Quando se aguardava por uns minutos finais de jogo emocionantes, eis que logo dois minutos após o golo do Paços, o Sporting volta a dilatar a diferença no marcador, novamente usando a mesma fórmula: assistência de João Mário e golo de Slimani. Esse golo acabou por terminar com a história do jogo, correndo os últimos minutos sem qualquer nota de destaque.

Notas

  • Num jogo que se afigurava muito complicado, até pela pressão extra do Benfica ter vencido o seu jogo, o Sporting deu uma excelente resposta saindo da Mata Real com os três pontos e com uma exibição muito positiva.
  • Muito público na Mata Real, muitos adeptos do Sporting mas também muitos adeptos da equipa da casa, proporcionando um excelente ambiente.
  • Slimani, Adrien e João Mário foram os jogadores mais importantes do Sporting.
  • Se é verdade que Adrien Silva se notabiliza cada vez mais como o motor da equipa de Alvalade, João Mário é cada vez mais a caixa de velocidades da estratégia do técnico Leonino, é ele quem define os ritmos de jogo. 
  • Paços de Ferreira mostrou muito pouco para o quinto classificado do nosso campeonato, apresentou-se com um bloco demasiado baixo limitando-se apenas em defender, quando tentou responder já foi tarde.
  • Bruno Moreira consolidou a sua posição de melhor marcador Português do nosso campeonato. Mesmo numa partida onde não teve jogo praticamente nenhum, conseguiu marcar mais um golo no único lance que teve, um golo de difícil execução diga-se.



Crónica: Ruben Sequeira


0 comentários:

Enviar um comentário

Parcerias (até ao momento)




Se pretender saber mais sobre a parceria e quiçá, fazer parte, preencha o formulário de contato deste blog, presente no seu lado esquerdo.
Caso não apareça, por favor envie mensagem privada para a página no Facebook.